Alunos do CEFET assistem palestra do Parlamento Juvenil

28/03/2018

A 11ª edição do Parlamento Juvenil da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (PJ/Alerj) aconteceu há algumas semanas, mas o projeto continua inspirando jovens a participarem mais ativamente da política. 77 alunos do 3º ano do ensino médio do Centro Federal de Formação Tecnológica (CEFET) vieram ao Palácio Tiradentes nesta quarta-feira (28/03) para conhecer a sede do Poder Legislativo do estado e o funcionamento do PJ.

O deputado Wanderson Nogueira comemorou a visita dos estudantes: "É um privilégio para nós receber dezenas de jovens, não só para conhecer a história do Palácio Tiradentes, mas também mostrar para essa juventude que ela pode e deve interferir na história que está sendo construída."

A ideia da visita partiu de Vanessa Brunow e Renato Fernandez, ambos professores de história da unidade do CEFET Celso Suckow da Fonseca, no Maracanã. Além de realizar a visita guiada pelo Palácio Tiradentes, eles agendaram um encontro dos alunos com o coordenador do PJ, o deputado Wanderson Nogueira (PSol), com o objetivo de estimular a participação política dos jovens. "A Alerj tem aparecido como um lugar de corrupção, não como um espaço de cultura. Essa discussão sobre política é muito importante nesse momento de descrença da juventude", afirmou Renato.

Política no Brasil

Vanessa conta que a maioria dos alunos não sabiam da existência do projeto, que reúne anualmente estudantes da rede pública estadual para discutir e votar projetos de lei criados pelos próprios jovens. "Antes da visita, nós organizamos uma palestra sobre a história da formação dos partidos políticos no Brasil, e ficou muito evidente como a participação política da população brasileira sempre foi muito restrita, através do voto censitário, por exemplo. Isso reflete nessa passividade, nesse distanciamento da juventude com a política", explica a professora.Geovanna Alves, aluna da unidade, é neta de um líder comunitário. Apesar desse contato desde cedo com a política, a adolescente de 17 anos sente que a juventude ainda não é suficientemente ouvida: "Tem que dar voz a todo o povo, principalmente aos jovens. A gente tem muitas ideias", afirma. Letícia Neves, também aluna, faz coro: "As pessoas pensam que o jovem não pode participar da política. O Parlamento Juvenil mostra exatamente o contrário."

Alunos do CEFET assistem palestra do Parlamento Juvenil