O FILHO QUE EU QUERO TER

12/10/2017

É com você que vou contar estrelas em todo entardecer. E quando me perguntar “cor céu de rosa, por quê?”. Responderei: “algodão-doce, todo pra você!”. E em cada nova pergunta vou responder todas que puder, mas se me faltar resposta, apenas vou dizer: “boa pergunta, mas nem tudo eu tenho como responder!” E você vai me ajudar a descobrir e eu vou te ajudar a encontrar todas as respostas caçando borboletas por aí. E imitando os bichos vamos nos divertir à vera, nesse mundo tão incrível em que sou seu pai e você me chama de amigo.
Vou sorrir com seu abraço, vou me alegrar toda vez que você despertar e ao espreguiçar pedir um colo, todo o colo do mundo eu vou te dar. Vamos rodar o mundo inteiro, mesmo que numa folha de papel. E juntos, unidos e fortes, seremos para cada si o norte de uma rota para o céu.
Se me pedir ajuda, eu vou te dar. Só não vou fazer o seu dever de casa, mas se quiser asas, a gente voa por lindas histórias de “era uma vez...”. Posso ser o rei e você o príncipe que tudo vai herdar. Posso ser o mago e você Arthur que tudo vai conquistar. Posso até ser sapo (eca!), mas pra fazer parte da sua história, visto qualquer personagem. E, se tiver que parar de crescer, viro Peter Pan para sempre poder brincar com você. Se quiser abrigo, vamos construir aquela casa lá na árvore, passar o dia inteiro olhando tudo bem de cima, esquecer da vida, até um novo sol raiar. Esperar que venha uma espaçonave nos buscar para uma breve volta no universo, para por planetas esquisitos passear.
Vamos cair juntos na piscina dessa passageira vida, dessa estranha poesia que é amar. Amar de verdade, eu vou aprender quando você chegar. Me ensinar a viver e a dizer que “é isso aí!”. Um mundo mais alegre está por se construir, eu e você, pequenino, mas tão lindo, inteligente, que o papai não escolheu, mas se pudesse escolheria você! Ah! O filho que eu quero ter...
Ah! Quando você chegar eu vou sorrir e vou chorar. Socos no ar... o meu mais importante gol. E espero tanto por você que se pudesse, hoje mesmo já queria te ver! Até sonhei essa noite que você chegava berrando cheio de saúde! Gargalhando com as bobeiras coloridas penduradas por seu quarto. A chuteira engraxada esperando ansiosa por sua 1ª partida de futebol. A sua camisa do Vasco preparada, 12 estrelas bordadas, títulos que você nem viu... mas te conto sobre todos eles na nossa visita a São Januário, até sobre aqueles que estrelas não ganharam bordado sobre a Cruz de Malta , mas que reluzem na nossa sala de troféus.
É com você que vou pular de sofá em sofá como se fôssemos Batman e Superman. Colecionar figurinhas, inventar musiquinhas, paquerar as menininhas, correr pelos vagões do trem. Celebrar todo o dia das crianças e fazer de cada dia um dia das crianças, em que eu adulto volto a ser criança também. Até o instante em que já crescido, beber juntos o seu 1° gole de cerveja e farrear a noite inteira. Ao te levar para a faculdade, vou lembrar com saudade do dia que na escola pela 1ª vez você foi. Já sabia andar de bicicleta, mas dos professores corria com pressa, tinha receio de crescer. Depois viu que valia à pena e chorava ter que voltar pra casa, adorava aprender.
O tempo passa rápido e hoje, apesar de homem maior que o pai, ainda é o meu menininho, que na praia tinha dificuldades para construir castelinhos, hoje ergue com total capacidade grandes edificações. É ainda o meu sonho, minha chance de ser abrigo, muito mais que meu filho, um amigo que o algodão-doce de outrora virou nuvem no céu.
Quando você vier, vamos contar estrelas...
E ao entardecer da vida, pegue aquela nossa espaçonave escondida lá na casa da árvore, para um passeio breve por um planeta esquisito... Vá me visitar. Se pensar unido e forte, saberá o caminho, olha pro seu coração que eu te explico... Lá vou te esperar de novo e feliz e bobo te suspenderei no céu!

O FILHO QUE EU QUERO TER