As maravilhas produzidas pela resistência

18/01/2018

O carnaval 2018 traz uma das melhores safras de sambas dos últimos anos. Desde
a época da redemocratização, as escolas do Rio de Janeiro não traziam enredos tão
politizados. O momento histórico que vivemos - onde a democracia corre tanto
risco quanto o próprio carnaval - fez com que os carnavalescos desenvolvessem o
tema e os compositores sambas quase panfletários.
Assim como a resistência à ditadura fez a MPB produzir suas mais emblemáticas
obras-primas, o efeito corrupção, Temer, intolerância religiosa, Crivella, crise,
Pezão, fizeram com que os sambas desse ano voltassem os olhos para quem
representam e cantar assim a voz do povo. É o carnaval fazendo o que tem que ser
feito e retomando suas mais puras raízes. É o que diz o Tuiuti “senhor eu não
tenho a sua fé, e nem tenho a sua cor, tenho sangue avermelhado. O mesmo que
escorre da ferida mostra que a vida se lamenta por nós dois, mas falta em seu peito
um coração ao me dar escravidão e um prato de feijão com arroz”; é o que canta a
Mangueira “que a rua é nossa, mas é por direito (...) não me leve a mal, pecado é
não brincar o Carnaval”; é o que panfleta a Beija-Flor “estenda a mão meu
senhor, pois não entendo tua fé, se ofereces com amor, me alimento de axé. Me
chamas tanto de irmão e me abandonas ao léu, troca um pedaço de pão, por um
pedaço de céu”; é o que canta forte o Salgueiro “liberdade é resistência e à luz da
consciência a alma não tem cor”. Porque se alguém precisa falar, será o samba a
fazer ouvir o que a rua quer mandar. Salve o carnaval e os sambas deste ano que
já estão na história. Que se inicie a nova história pela revolução da Sapucaí!

Hoje é dia
Internacional do Riso
da Esteticista
O dia
Em 18 de janeiro de 1778, a descoberta do Hawaí. O capitão inglês James Cook,
navegante, descobriu o arquipélago do Havaí, que foi batizado de ilhas Sandwich.
Observando...
Cinco notícias que, talvez, você não viu
- MP diz que estado não pode usar empréstimos em obra do metrô
- 500 anos depois, DNA identifica doença que dizimou 15 milhões de astecas
- Após 170 botos mortos, MPF/RJ exige suspensão de dragagem em Sepetiba
- Brasileirão é eleito o 3º nacional de futebol mais forte do mundo
- Sony confirma para abril início de filmagens do novo filme do He-Man
Palavreando
Os sonhos sempre são bons, mas muitas das vezes o que nos tornamos sem ter
imaginado é melhor ainda.

Mutirão identidade
Com problemas no atendimento de emissão de carteiras de identidade, Nova Friburgo
está entre os dez municípios do Estado que terão a realização de mutirões para a
prestação do serviço. Os mutirões começaram ontem, 17, nos postos de atendimento de
identificação civil. O serviço é das 9h às 16h, com distribuição de 90 senhas diárias.

Procedimentos
Após o atendimento, o cidadão receberá o protocolo. Para a emissão da carteira de
identificação, o cidadão precisa ir ao mutirão com uma certidão original: nascimento ou
casamento. Os pedidos da primeira via da identidade são feitos de forma gratuita. Já os
da segunda via precisam de pagamento de DUDA (código 500-2) no valor de R$ 37,15.
Teste do pezinho
O Estado passará a oferecer o serviço de entrega online do Teste do Pezinho. A
ferramenta já está disponível em algumas unidades que realizam o teste como as
APAES. A ideia é dar comodidade aos pais que nesse período estão voltados para os
bebês.
Estádios aptos
O estádio Eduardo Guinle é um dos 17 estádios do Estado aptos a receber partidas de
futebol profissional. Inclusive, há possibilidade do estádio receber partidas do Estadual
que começou nesta semana. Dos 17 estádios, 11 estão com problemas de laudo. São
quatro os documentos necessários: da Polícia Militar, dos Bombeiros, da Vigilância
Sanitária e da Engenharia.

As maravilhas produzidas pela resistência