Janeiro se vai...

19/01/2018

Com muito sol, alguma chuva e bastante calor, os dias do 1° mês do ano correm
como se disputasse uma Olimpíada com os demais meses. Fevereiro, março, abril e
todos até dezembro terão que ser bons para derrotar janeiro que literalmente sai
na frente. Mas se eu fosse janeiro não subestimaria os demais. Para frente tem
carnaval, Copa, Eleições, compras de dia das mães, dia dos namorados, dia dos
pais, dia das crianças, natal. É compra para a família inteira.
Janeiro leva suas vantagens sobre os outros: é um mês de férias para a grande
maioria. E você tendo ou não tirado férias nesse mês vai concordar comigo: férias
passam muito rápido e sempre fica aquela sensação de que poderia durar um
pouquinho mais. Seria tão bom, né? Pois é! Janeiro corre demais!
Mas janeiro também é mês para fazer as contas e calcular todos os impostos que
tem que se pagar: IPVA, IPTU, taxas e mais taxas. Impostos que raramente
voltam em seu benefício. Vem o material escolar, o cartão de crédito com as
compras de natal.
De férias ou não, você dorme de menos e assim janeiro corre demais. E você anseia
dias melhores, menos atribulados talvez. Você quer paz, mas se enrola em novos
trabalhos, cada vez menos rendosos. Assume mais compromissos e cada vez tem
menos tempo. E, à medida que envelhece o tempo passa mais rápido e fica aquela
sensação de que este janeiro passou mais rápido do que janeiro passado e que
fevereiro será, como o é pelo menos na contagem de dias, mais curto e por isso
mais rápido que janeiro. Faz promessas de dietas, academia e outras mais e diz:
“mês que vem eu faço aquela dieta”. Até porque fazer dieta em fim de ano e em
janeiro é loucura. Mas aí vem carnaval, páscoa, aniversários e mais aniversários,
festas e a dieta fica para o ano que vem. Por que esse já está indo.
E assim, será fato: janeiro se vai, fevereiro logo já terá ido também e quando
chegar dezembro você nem lembrará que leu este texto até o fim.

Hoje é dia
dos trovões
O dia
Em 19 de janeiro de 1982, morria Elis Regina, uma das maiores cantoras da história do
Brasil. Sua morte causou grande comoção nacional. Ela faleceu aos 36 anos de idade,
devido a complicações decorrentes de uma overdose de cocaína e bebida alcoólica.
Observando...
Cinco notícias que, talvez, você não viu
- Pesquisa revela que má qualidade do transporte público aumenta opção por carro
- Ala jovem do MDB pedirá expulsão de Cunha e de Cabral
- EUA apuram conexão de grupo paulista com ala do Hezbollah
- Beckham irá lançar linha de cosméticos para homens
- Pela 1ª vez no BBB, áudios da direção serão transmitidos
Palavreando
Escolhemos errado pela inexperiência, escolhemos impensadamente pelas paixões,
escolhemos certo pelo exemplo alheio, deixamos de escolher por malditos medos e
crenças de que não é possível ou de que não é a hora certa. E, deixar de escolher já é
uma escolha!

Self-service
Os restaurantes self-service não podem mais cobrar taxa de serviço. É o que determina
lei estadual que passou a valer nesta semana. A nova norma proíbe os restaurantes self-
service de cobrarem taxa de serviço, geralmente um valor que equivale a 10% da conta.
Os estabelecimentos que não cumprirem o que determina a resolução poderão ser
interditados.
Novas regras
No caso em que os clientes fizerem algum pedido diretamente para os garçons, como
pedir refrigerantes, por exemplo, a taxa poderá ser cobrada. Entretanto, o percentual
será calculado apenas em cima do produto servido à mesa pelo profissional.
Hotéis carnaval
O setor hoteleiro do Rio de Janeiro está otimista quanto a ocupação para o Carnaval.
Segundo a Associação Brasileira da Indústria Hoteleira do Estado do Rio (ABIH-RJ)
tem expectativa de que nestas férias a taxa média alcance 70% contra os 55%
registrados no ano passado. Para o Carnaval, espera-se atingir 85%. A ideia é integrar
cada vez mais a capital com o interior, induzindo o turista a esticar a visita e a estadia.
Redução no valor das diárias
Um dos fatores relacionados ao crescimento da ocupação seria o valor das diárias.
Segundo levantamento da Associação de Hotéis, as diárias tiveram uma queda de
aproximadamente 15% em relação ao mesmo período do ano passado, ajuste
considerado natural em função do aumento de pelo menos 20 mil novos quartos de
hotéis.
Feminicídio
O Estado do RJ é um dos primeiros a conseguir destacar nas suas estatísticas de
segurança pública a violência contra a mulher. A criação do subtítulo feminicídio nos
registros de ocorrência da Polícia Civil, para os casos de homicídio contra a mulher
trouxe números graves. No último ano ocorreram 76 assassinatos de mulheres por
motivo de gênero. Os registros apontam também 268 tentativas do mesmo delito.

Janeiro se vai...